domingo, 27 de setembro de 2020

terça-feira, 8 de setembro de 2020

domingo, 19 de abril de 2020

quinta-feira, 16 de abril de 2020

MASTRO WALK



LOS LANCES: ESTO NO LO HABÉIS VISTO NUNCA___

Tenía ganas de recuperar y mostraros este video que tenía perdido en un disco duro desde 2013 y que durante el confinamiento he podido encontrar.
Y así nos despejamos un poco de todo esto que estamos viviendo.
Ocurrió durante el rodaje en el que participé para la campaña publicitaria de Hugo Boss con Alex Thomson y su IMOCA 60’, competidores de la Vendée Globe, la vuelta al mundo en solitario y sin escalas.
El spot consistía en que, gracias a su orza basculante, el monocasco era capaz de desafiar las leyes de la física y la nautica poniendo sus casi 30 metros de mástil en paralelo a la superficie del agua. Esto permitiría a Alex llegar al final del palo andando directamente por la vela sin ningún tipo de arnés ni elemento de seguridad, para finalmente saltar al agua.
Sin embargo, la tripulación del barco tuvo problemas para mantenerlo en esta posición extrema no pudiendo evitar que la embarcación recuperara la verticalidad antes de que Alex pudiera saltar...
Finalmente, todo salió bien y el resultado del rodaje fue un éxito.

Solo round the world yachtsman Alex Thomson performs a daring feat on board his high-speed yacht, HUGO BOSS. Thomson climbs up the 30-metre high mast of the moving vessel and dives into the ocean.

 This is not the first stunt we've seen from Thomson. Two years ago he completed The Keel Walk, a stunt which has become famous across the world.

quarta-feira, 8 de abril de 2020

segunda-feira, 23 de março de 2020

terça-feira, 21 de janeiro de 2020

INTERDIÇÃO DA PONTE FERROVIÁRIA DO SÃO GONÇALO


A  empresa RUMO MALHA SUL .S.A ,concessionária do serviço público de transporte ferroviário de cargas ,informa que realizará reestruturação do sistema de automação da Ponte Ferroviária no São Gonçalo. 
Para tanto a ponte permanecerá interditada, numa primeira etapa, no período de  22/01/2020 a 05/02/2020


quarta-feira, 27 de novembro de 2019

LE RAZ DE SEINE


sábado, 23 de novembro de 2019

BRETANHA : UMA ILHA " PETIT COIN DE PARADIS"` À VENDA



Située entre Lézardrieux et Ploubazlanec, dans les Côtes-d’Armor, l’île de Roc’h ar Hon est en vente sur le site de l’agence immobilière Sotheby’s international.

« Propriété de prestige, île privée avec maison vue mer à vendre. » Sur le site de l’agence immobilière Sotheby’s, l’annonce fait saliver. Elle promet « un petit coin de paradis à découvrir pas loin de Bréhat ».
En réalité, l’île de Roc’h ar Hon est située à l’embouchure du Trieux, au niveau de Kermouster et de Loguivy-de-la-Mer. Accessible à pied à marée basse, le site s’étend sur 6 420 m² et au milieu niche une « maison tout confort de 140 m², construite en 1758 et entièrement rénovée entre 1993 et 1996 », précise l’annonce.

1 685 000 €

Pas question ici de jouer les Robinson Crusoé. « L’île est raccordée au réseau EDF, eau et téléphone », assure l’agence immobilière. « La maison est vendue meublée vous n’avez qu’à poser vos valises ! »
Encore faut-il en avoir les moyens. L’îlot est mis en vente à 1 685 000 €.
Ouest-France  

quinta-feira, 24 de outubro de 2019

VELERO SOLEDAD - Capitán Victor Felipe

.
El velero Soledad continúa su derrotero remontando la costa de Brasil hasta Angra Dos Reis.

Luego de su recalada en el Puerto de la Paloma, Uruguay, hizo rápidamente el trayecto que lo separaba de Rio Grande Do Sul, Brasil, poco mas de 30 horas de navegación.

En este puerto desembarco Christian Galain y el Soledad y sus moradores se quedo algún tiempo, visitando amigos y haciendo nuevos.
Se encontró con Pablo del wibo Maria Galante, con Paulo Batista, delegado de ADAN en Rio Grande do Sul, con Ezequiel y Florencia del IPAKE II en Sao Lorenzo Do Sul y Marco Carvalho, encargado de la cátedra de náutica del CCMar. Casi tres semanas de disfrute total.
Una vez abierta la ventana que permitía seguir al norte salió para Florianópolis cubriendo esta pierna en 72 hs pero un día del barullo de esta enorme ciudad fue suficiente para soltar amarras nuevamente, previo en desembarco de Javier Patiño.
En las jornadas siguientes fue caleteando. Paso por Puerto Belo, Sao Fransisco do Sul, Isla do Mel y espera llegar en el transcurso de la semana que viene a Angra de donde solo lo separan alrededor de 200 mn.

El Capi V Felipe, quien continua en solitario, agradece la compañía y buena onda de sus tripulantes.

quarta-feira, 9 de outubro de 2019

GRONINGEN


domingo, 22 de setembro de 2019

VISITA DE VICTOR FELIPE Y JAVIER PATIÑO AL MUSEO DEL BARCO

Victor Felipe ( velero Soledad) y Javier Patiño en el canal dónde ya estuvieram por largo tiempo con sus veleros Hernan Prado, "El Burro" ( velero Shamrock) y Alejandro ( velero Poroto)

Vista del canal

Shamrock es el primero de abajo. El velero se perdió al salir de Rio Grande para Florianópolis.

quinta-feira, 12 de setembro de 2019

E A RODA DA IDIOTIA CONTINUA GIRANDO - Tau Golin


O projeto para instalar um parque com roda-gigante na orla, praticamente dentro do Guaíba, é a maior estupidez dos últimos tempos. Viola o conceito de que a paisagem é um patrimônio cultural.
Para quem acha os termos idiotia e estupidez muito fortes, pode-se amenizar que é “pouco inteligente”. A novidade está sendo anunciada que "terá no mínimo 80 metros de altura" e “vai invadir o Guaíba”.
A pretensão é instalá-la no único espaço com enseada de relativa profundidade (de fácil dragagem), sem pedra, abrigada e com um molhe construído no passado, que auxilia no uso náutico do Guaíba. Justamente para aquele espaço existe um projeto de Marina Pública, especialmente para veleiros, como existe em Lisboa, Barcelona, etc.
Interditar aquele lugar é retirar a sua vocação natural de capitalização simbólica e real do Guaíba, viola sua história e o conceito de paisagem como patrimônio cultural assegurado em lei. As autoridades (atendendo a especulação) só apresentam e viabilizam projetos "de terra", nada que faça daquela orla maravilhosa, a qual faz inveja ao mundo, o lugar do “universo das águas”. Estão embotadas por qualquer ideia extravagante, as quais continuam impedindo a democratização de acesso à água e potencialize a vocação náutica e sua história de trezentos anos.
E convenhamos, o Guaíba ficaria muito mais interessante com um espaço de marinharia, com trapiches e rampas de uso público, com barcos, escola de vela para crianças, etc. Seria uma faina que embelezaria o Guaíba e a cidade.
Um roda-gigante ali é um crime, pois viola o patrimônio da paisagem cultural, com sua historicidade e bem público.
Porto Alegre continua submetida a projetos esdrúxulos. Gradativamente continuam matando o Guaíba.

sexta-feira, 30 de agosto de 2019

VENDA: LANCHA TEMPEST 19 PÉS








Lancha Tempest, 19 pés, motor Mercury 115 cv, 4 tempos, muito econômico, para 6 pessoas. Tem vários aparelhos náuticos mais o som . Cerca de 170 horas de uso, foi comprada em março de 2015, 0 km, sempre um único dono, ela é mantida numa vaga coberta no Clube Caça e Pesca (Pelotas).
Valor 80 000 reais
Contato direto com o proprietário Ben Hur tel.  53 8402-9967

terça-feira, 13 de agosto de 2019

Exposição "MUSEU DO BARCO: A Partida do Último Vapor"

.
Aspecto da exposição "A Partida do Último Vapor" com uma seleção de fotos, informações  e artefatos pertencentes ao MUSEU DO BARCO projeto desenvolvido por P.R.Baptista.

O expositor com o navegador Alberto Schwonke e Márcia Weymar

Conjuntamente ocorre a exposição de Fotografia "Nossas Águas". Na foto a premiação dos concorrentes.
Exposições abertas ao público na Galeria JM Moraes no Espaço de Arte Ágape.
Visitação - segunda a sexta das 10h às 12h e das 14h às 19h ; sábado das 13h às 17h até o dia 31/08
Endereço - Rua Anchieta, 4480

sexta-feira, 9 de agosto de 2019

TAPES -RGS (RONCADOR)


terça-feira, 18 de junho de 2019

quinta-feira, 6 de junho de 2019

NOS FUNDOS DE MEU JARDIM

.
.
.

sábado, 2 de março de 2019

sábado, 16 de fevereiro de 2019

sábado, 22 de dezembro de 2018

ARA San Juan Simulation (Submarine Implosion + Sinking)

.
Structural simulation of the last moments of the submarine from Argentina you probably have heard of. The simulation utilizes new program code for drag and pressure simulation of water to reproduce the dynamics that have acted on the pressure hull. Physical parameters like scale, mass, pressure, density of the water, are accurately simulated.

terça-feira, 27 de novembro de 2018

domingo, 14 de outubro de 2018

terça-feira, 18 de setembro de 2018

DUELO


Navegando a 25 nós no outono no Mar Báltico, dois veleiros, um clássico de madeira contra um de fibra,5t contra 8t, 9m contra 11m, quilha curta contra quilha longa, GfK contra madeira.

domingo, 12 de agosto de 2018

REGATA NO GUAÍBA

Regata de hobie-cat na abertura do Sulcat, disputada no Guaíba, Porto Alegre, com a participação de André Huyer. . Ao fundo a Usina do Gasômetro. Foto de Ricardo Pedebos

segunda-feira, 6 de agosto de 2018

ADENTRANDO A LAGOA DOS PATOS

A bordo do veleiro "RUMO SUL" em direção à Itapoã antes de adentrar na Lagoa dos Patos, em companhia do comandante Portinho

sábado, 5 de maio de 2018

BELEZA E ENTROPIA - Tau Golin


Na plasticidade estética e aparentemente equilibrada da natureza existe a força entrópica da desordem. Neste entardecer na enseada do Araçá, na Reserva de Itapuã (Rio Guaíba, Viamão, RS) e sua perspectiva para Oeste, estava contida a tempestade que levou o pânico aos ancoradouros durante a madrugada de primeiro de maio, arrastando embarcações para a praia. Uma noite para jamais esquecer... Poesia e caos!!!

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

PIRATARIA EM DECLÍNIO.

Os ataques de piratas no mar em todo mundo estão em seu nível mais baixo em 22 anos, apesar de terem aumentado nas Filipinas e em certas regiões frente à África ainda representarem um perigo, informou o Birô Marítimo Internacional (IMB). No total, foram registrados 180 ataques no ano passado, a cifra mais baixa desde 1995, depois dos 191 incidentes de 2016. A título de exemplo, a Indonésia, o maior arquipélago do mundo no sudeste da Ásia, registrou no ano passado 43 casos em suas águas, menos da metade comparado com os dois anos precedentes. Em compensação, os ataques aumentaram frente às costas das Filipinas (22 em 2017, 10 em 2016), onde os extremistas islamitas multiplicam os ataques contra barcos. No Golfo da Guiné, no sudoeste da África, segue sendo o mais perigoso do mundo. Dos 16 incidentes em todo o planeta, com disparos contra barcos, sete ocorreram nesta região. Também continuam sendo perigosas as águas diante do litoral da Somália.


sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

DESTINO SUL - Tau Golin


Navegando em solitário no veleiro Delírio na lagoa dos Patos, indo do farol de Itapuã para Tapes, vivi a experiência de ventos de aproximadamente 51 nós (94.452 km/h). Pela classificação de força 11 na Escala Beaufort, representa situações de tempestade violenta ou tufão. Relatos de Tapes falam em mais de 100 km horários; no Iate Clube Guaíba, em Porto Alegre, registraram 36 nós (66.672 km/h). Antecipar é o procedimento principal em navegação. Ensinamento fundamental de Eric Tabarly, em sua Memórias do Mar. Preparar-se e não ser surpreendido por um evento, saber lidar com os elementos. Cometi alguns erros, dos quais sempre se tiram lições. Poderiam ter sido dramáticos e inclusive levar ao naufrágio, se não tivesse funcionado as técnicas possíveis de manobra no meio do temporal. No geral, teve um erro fundamental de excesso de confiança e perspectiva que redundou em todos os problemas subsequentes. Erro 1: Vinha acompanhando a formação do temporal no horizonte, sobre Tapes e resolvi esperar mais um pouco para fechar a vela genoa de proa e diminuir o tamanho da vela grande. O vento de noroeste/oeste sugeria que o mau tempo poderia não me atingir. Todavia, ele cessou subitamente e, logo, a cabeça do bicho chegou de sudoeste encrespando a superfície da água. Erro 2: Minha perspectiva era de seguir em frente quando o temporal chegasse, ou ficar capeando. Ficar aproado é o procedimento mais adequado, desde que preparado com antecipação, nos grandes ensinamentos de Slocum, Tabarly e demonstrado tecnicamente no salvamento da Expedição Shackleton a bordo de embarcações miúdas. Erro 3: Naquela situação, resolver enrolar a genoa ao invés de baixar a vela grande, que desceria fácil no trilho roletado do mastro. O raciocínio técnico de esconder a genoa atrás da grande para enrolar a vela de proa estava certo, mas a situação não era propícia. Ao fazer a manobra, a panejada da vela, que já estava 50% enrolada, laçou um dos cunhos do mastro com a escota de boreste. Pronto! A bolsa que se formou na metade superior da genoa, com vento de 51 nós, não permitiu mais que aproasse o barco, nem com o auxílio do motor. A única solução era correr com o temporal, empopado, com toda a vela grande içada, cobrindo a bolsa formada pela vela de proa, que, nestes momentos, forma barulho assustador. A quilha longa e o estaiamento do mastro do Delírio fizeram a diferença. Em muitos momentos, o veleiro navegava com a retranca do mastro na água, com o leme sempre respondendo o rumo desejado em popa. Uma corrida louca de volta, torcendo que a força do vento diminuísse até chegar no farol de Itapuã. O percurso de três horas de velejada rumo ao Pontal de Tapes, foi retornado em aproximadamente um terço do tempo. Erro 4: Não ter fixado a filmadora antes no barco, querendo registrar o evento a qualquer custo naquela situação. Por fim, tive que jogá-la para dentro da cabine para não perdê-la. Erro 5: Navegar de chinelo de dedo, algo comum no verão. Numa situação de pauleira e chuva, o chinelo perde aderência e fica escorregadio, comprometendo a mobilidade do navegante. Resultado material: a capa da genoa rasgada e um furo na vela grande causado pela fricção com a ponta da cruzeta do mastro, além da torção da estação de vento provocada pelo temporal. Havia pensado em pousar na Reserva de Itapuã, mas resolvi prosseguir de volta a Porto Alegre para consertos. Apesar do temporal, duas semanas a bordo também tiveram momentos espetaculares no Guaíba e lagoa dos Patos, em locais como o Arado, Reserva de Itapuã e Saco/Bahia/ de Tapes. Conforme a Escala Beaufort, os ventos possuem 13 classificações de forças relacionadas à velocidade média por hora. Com pequenas substituições na designação, mas coincidentes nas velocidades médias, são as seguintes: 0, calma ou calmaria, 0-1 km/h; 1, bafagem, 2-6 km/h; 2, aragem, 7-12 km/h; 3, bonançoso ou fraco, 13-18 km/h; 4, moderado, 19-26 km/h; 5, fresco, 27-35 km/h; 6, muito fresco ou frescalhão, 36-44 km/h; 7, rijo ou forte, 45-54 km/h; 8, muito rijo ou muito forte, 55-65 km/h; 9, duro, 66-77 km/h; 10, tempestuoso ou temporal desfeito, 78-90 km/h; 11, tempestade violenta ou tufão, 91-104 km/h; e 12, ciclone ou furacão, mais de 104 km/h.

terça-feira, 2 de janeiro de 2018

E dizer que tudo começou com uma guerra naval...

.
E dizer que tudo começou com uma guerra naval...